Leia a Reflexão do Momento e acesse o link para as reflexões de Chico Xavier no final desta página.

A MORTE NÃO É NADA (Santo Agostinho)

 

A morte não é nada. 
Eu somente passei para o outro lado do caminho.
Eu sou eu, vocês são vocês.
O que eu era para vocês, eu continuarei sendo.
Me dêem o nome que vocês sempre me deram, falem comigo como vocês sempre fizeram.
Vocês continuam vivendo no mundo das criaturas, eu estou vivendo no mundo do Criador.
Não utilizem um tom solene ou triste, continuem a rir daquilo que nos fazia rir juntos.
Rezem, sorriam, pensem em mim.
Rezem por mim.
Que meu nome seja pronunciado como sempre foi, sem ênfase de nenhum tipo.
Sem nenhum traço de sombra ou tristeza.
A vida significa tudo o que ela sempre significou.
O fio não foi cortado.
Porque eu estaria fora de seus pensamentos, agora que estou apenas fora de suas vistas?
Eu não estou longe, apenas estou do outro lado do caminho...
Você que aí ficou, siga em frente...
A vida continua, linda e bela como sempre foi.

"Santo Agostinho (354-430) foi um filósofo, escritor, bispo e teólogo cristão africano, responsável pela elaboração do pensamento cristão. Deixou uma obra literária gigantesca, foram 113 trabalhos, 224 cartas e mais quinhentos sermões.
Santo Agostinho nasceu em Tagate, pequena cidade da Numídia, atual Argélia, na África. Foi educado em Cartago, grande centro de paganismo e a maior cidade do Ocidente latino, depois de Roma. De volta à cidade natal abre uma escola particular, onde ensinou gramática e retórica durante treze anos.
De espírito crítico e inquieto, abandonou o cristianismo e adotou o maniqueísmo, pretendendo seguir a força única da razão. Durante doze anos foi seguidor de Mani, profeta persa que pregava uma doutrina na qual se misturava Evangelho, ocultismo e astrologia. Em 386, sob a influência de Ambrósio, bispo de Milão, Agostinho é convertido ao cristianismo. O resultado de sua conversão é o livro “Confissões”, onde revela os recantos de sua alma e os caminhos da fé em meio às angústias do mundo. Outra obra de grande destaque é “Cidade de Deus”, onde discute a questão da metafísica do pecado original contido na Bíblia.
Durante quarenta anos, desde que reencontrou a fé, Agostinho teve sua vida sobrecarregada. Primeiro constrói seu mosteiro. Torna-se depois sacerdote e bispo, encarregado inclusive de distribuir justiça em nome do império. 
É dele a frase: Compreender para crer, crer para compreender.
Santo Agostinho faleceu em Hipona, província romana na África, no dia 28 de agosto de 430. Foi canonizado por aclamação popular e reconhecido como Doutor da Igreja, em 1292, pelo papa Bonifácio VIII."
(Fonte: http://pensador.uol.com.br/autor/santo_agostinho/biografia/)

Posts mais visitados recentemente